Série B

'Novo Pacaembu'; Maracanã corre o risco de não ter ninguém para jogar nele

Cruzmaltino quer reformar São Januário

Maracanã
Maracanã

Após enfrentar nos bastidores a dupla FlaFlu para poder mandar alguns jogos no Maracanã, o Vasco surgiu com a ideia de reformar seu próprio estádio, o São Januário, afim de comportar uma quantidade maior de público. O projeto foi apresentado a 777Partners, fundo de investimentos que está prestes a adquirir cerca de 70% do clube.

"Eu tenho uma conversa muito avançada com o Salgado, que a ideia é a gente transferir o potencial construtivo, ou seja, o direito de construir em São Januário. Um exemplo, ele tem o direito de construir um prédio, vamos imaginar que ele pode construir um prédio onde está São Januário, nós vamos transferir esse potencial construtivo para que o Vasco possa vender isso para o setor privado em outras áreas da cidade, por exemplo a Barra", declarou o prefeito, Eduardo Paes.

Mais notícias do Futebol brasileiro

De jogar com Dani Alves, a ser elogiado por Rogério Ceni: o time onde João Rojas acabou jogando que ninguém conhece na América do Sul

O craque da seleção brasileira que aprendeu a fazer gols graças a Paolo Guerrero e agora fatura milhões no Real Madrid

O prefeito da cidade vem construindo uma boa relação com os clubes do Rio de Janeiro, em especial com o Flamengo, onde tem agido de forma a defender a intenção do rubro-negro em construir uma arena no Gasômetro. Para a 777 Partners, o projeto de uma reforma em São Januário é vantajoso, principalmente, do ponto de vista econômico.

A viabilidade do projeto depende da intenção da Prefeitura em negociar o potencial construtivo vascaíno com o clube e permitir a chegada de investidores interessados em participar do negócio. Algo semelhante ao que aconteceu no Porto Maravilha, no Centro da cidade. Com os recursos arrecadados, o Vasco teria a obrigação de investir na modernização de seu estádio.

O que é o Potencial Construtivo

É um recurso administrativo que comprova a capacidade de uma parte em realizar grandes investimentos, “É um direito com fim específico. Você ganha o direito, que é o de construir, você vende esse direito, só que o fruto desse recurso não pode contratar jogador, não pode pagar salário atrasado, não pode resolver dívidas do clube, só pode ser usado para obras de reforma de São Januário”, declarou Eduardo Paes, que é torcedor vascaíno, e prefeito do Rio.

Jorge Dias

Jornalista formado pela Universidade P. Mackenzie em 2013, mas atuo desde 2008 com textos esportivos. Já trabalhei no Diário Lance! como diagramador e jornalista, de 2010 a 2016. Escrevi para Surto Olímpico, Bola Parada, Torcedores.com e Punteiro Izquierdo.+ info

Notícias relacionadas

Mais notícias

Mais notícias