Série B

Jogador pode ser condenado a qualquer momento e ir para a cadeia por tragédia

Jogador se envolveu em atropelamento em 2020

carro destruído
carro destruído

Após assinar um contrato até o final da disputa do campeonato brasileiro da Série B pelo Bahia, o lateral-direito, Marcinho, está vivendo um momento de apreensão em sua vida particular. O jogador que se envolveu em um atropelamento em 2020 no Rio de Janeiro, que culminou na morte de duas pessoas, tem o processo apreciado pelo júri que pode setenciá-lo a qualquer momento.

Marcinho atropelou os professores Maria Cristina José Soares e Alexandre Silva de Lima, no Rio de Janeiro, no final de 2020. Alexandre morreu no local, e Maria Cristina chegou a ser hospitalizada em situação grave, mas não resistiu. O lateral assumiu que estava na direção e fugiu sem prestar socorro.

Mais notícias do Futebol brasileiro

De jogar com Dani Alves, a ser elogiado por Rogério Ceni: o time onde João Rojas acabou jogando que ninguém conhece na América do Sul

O craque da seleção brasileira que aprendeu a fazer gols graças a Paolo Guerrero e agora fatura milhões no Real Madrid

O lateral chegou a um acordo com os herdeiros do casal sobre uma indenização e encerrou o processo civil, porém, ele ainda responde criminalmente pelo acontecido. O representante da família das vítimas preferiu não revelar valores, mas o advogado do jogador, Bruno Cardoso Pinto, afirmou que Marcinho se comprometeu a pagar R$ 200 mil aos quatro netos do casal (R$ 50 mil para cada), que são menores de idade.

Mesmo com a proximidade da sentença e a condenação eminente, o Bahia afirmou que se resguardou caso Marcinho venha a ser condenado, “Tem cumprido o que a Justiça determinará. O Bahia respeitará as decisões judiciais. Nosso contrato vai até o final da Série B. O clube está se respaldando com cláusulas que protejam o clube em caso de condenação”.

Marcinho foi impedido de jogar no exterior

Em 2022, o jogador havia sido sondado por clubes do exterior para atuar em uma carreira internacional, no entanto, uma decisão judicial de 29 de junho, o impediu de aceitar uma proposta de fora do Brasil. À época, a Justiça alegou que o caso "está em vias de ser sentenciado" e que a autorização era inviável "sob o risco de frustrar a aplicação da lei penal".

Jorge Dias

Jornalista formado pela Universidade P. Mackenzie em 2013, mas atuo desde 2008 com textos esportivos. Já trabalhei no Diário Lance! como diagramador e jornalista, de 2010 a 2016. Escrevi para Surto Olímpico, Bola Parada, Torcedores.com e Punteiro Izquierdo.+ info

Notícias relacionadas

Mais notícias

Mais notícias