Seleçao > Copas Internacionais

Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, apresentou sua posição a respeito da realização da Copa América em seu país

Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, apresentou sua posição a respeito da realização da Copa América em seu país e em meio à pandemia

Jair Bolsonaro pede que a Copa América seja disputada no Brasil
Jair Bolsonaro pede que a Copa América seja disputada no Brasil

Momentos de incerteza quanto ao desenvolvimento do torneio. Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, referiu-se publicamente pela primeira vez à eleição de seu país como sede da Copa América 2021. Assim que se soube da decisão da Conmebol, na última segunda-feira, várias figuras ligadas ao Governo se opuseram ao interno situação no meio da pandemia.

Em seguida, o presidente disse nesta terça-feira que, se depender dele e de seu governo, "haverá Copa América no Brasil", como anunciou a instituição do futebol sul-americano na véspera, depois que Argentina e Colômbia desistiram de organizar o torneio. “Fui consultado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e, da nossa parte, é positivo”, acrescentou ele nos portões de sua residência oficial em Brasília.

De imediato, o presidente minimizou o impacto que a Copa América poderia ter em relação à crise de saúde causada pelo coronavírus, que no Brasil já deixou mortes com cifras que ultrapassam 462 mil pessoas e continua fora de controle.

“Tem a Copa Libertadores, tem a Copa da América do Sul, agora eles vêm (jogos) das Eliminatórias”, acrescentou Bolsonaro em relação aos torneios que se disputam há meses no território. "Ninguém fala nada sobre isso, mas se for a Copa América vai causar multidões e não dá para jogar", disse ele ironicamente, para insistir que seu governo está disposto a sediar o torneio da seleção nacional, que começaria no próximo dia 13.

Jair Bolsonaro conquistou o troféu da Copa América conquistado pelo Brasil em 2019, torneio que foi realizado naquele país. (Foto: AFP)

"É o mesmo protocolo (de segurança) da Copa Libertadores", Bolsonaro insistiu para justificar seu apoio ao torneio, que gerou uma enorme onda de críticas de especialistas em saúde e setores políticos que consideraram aquela decisão "irresponsável" quando o país continua a ser descontrolado, a pandemia.

A Conmebol revelou que Alejandro Domínguez, seu presidente, conversou com Rogério Caboclo, chefe da Confederação Brasileira de Futebol, para propor o desenvolvimento da Copa América naquele país. Em seguida, Caboclo entrou em contato com Jair Bolsonaro e outros membros do governo para apresentar a proposta. Sem mais delongas, o presidente aceitou.

Críticas por levar a Copa América ao Brasil

“O governo brasileiro demonstrou agilidade e capacidade de decisão em um momento fundamental para o futebol sul-americano”, explicou Domínguez à página da Conmebol. Em seguida, o dirigente paraguaio acrescentou que: “O Brasil vive um momento de estabilidade, tem infraestrutura comprovada e experiência recente e acumulada para organizar uma competição desta magnitude”.

Notícias relacionadas

Mais notícias

Mais notícias