Série A > Flamengo

O verdadeiro motivo que impede que o Flamengo seja comprado pelo mundo árabe como quer o governo

Clube foi citado para receber investimentos do mundo árabe pelo ministro da Economia

Gabigol e Arrascaeta em passeio pela cidade de Doha, no Catar, durante Mundial de Clubes de 2019
Gabigol e Arrascaeta em passeio pela cidade de Doha, no Catar, durante Mundial de Clubes de 2019

Saiba qual foi a posição do presidente do Flamengo apos saber que clube foi citado para receber aporte financeiro de investidores do mundo árabe, que cogitaram a compra de duas equipes do Brasil

Desde que o Ministro da Economia, Paulo Guedes, falou da possibilidade de sheiks árabes investirem em clubes brasileiros, citando nominalmente o Flamengo como uma possibilidade real de compra, diversos torcedores imaginara a potência que o clube poderia virar, como outros clubes do mundo que receberam grande aporte financeiro dos petrodólares com Paris Saint-Germain e Manchester City.

Foto: Agência Brasil - Presidente Jair Bolsoaro dá camisa do Flamengo de presente durante visita à sheik árabe

No entanto, o próprio presidente do Flamengo tratou de dar fim às especulações e, até mesmo os sonhos dos torcedores, ao ser muito claro que não existe possibilidade da situação ocorrer ao menos por enquanto, já que não há brecha no estatuto do rubro-negro que permita que o clube seja comprado.

“Não há nenhuma sinalização, nem previsão estatutária para que isso possa ocorrer”, afirmou Rodolfo Landim aos membros da diretoria do Flamengo, segundo a revista a Veja. Para haver uma compra do clube, o rubro-negro precisaria, primeiro, mudar o seu código estatuário, para que se tornasse, por exemplo, um clube-empresa e aí sim permitir que parte do clube ou o todo fosse comprado, como caso do Red Bull Bragantino e clubes europeus.

Foto: Reprodução/ge - Torcedores caracterizados de árabes durante jogo do Flamengo em Doha

Como começou toda essa história?

Toda situação ganhou força quando Paulo Guedes comentou sobre a possibilidade de investimento árabe no futebol brasileiro, na semana passada. “Eles anunciaram: ‘calma, nós vamos comprar dois times, estamos examinando e vamos comprar dois times’. Eles vêm aí com os investimentos. Isso ontem e anteontem na viagem, Eles compraram o Manchester United, compraram o Cristiano Ronaldo, etc; Então, vários brasileiros da comitiva começaram a pensar. Eu pensei: ‘Vem ser sócio do Flamengo’. Aí um tinha do outro lado, que é vascaíno e falou ‘vem para o Vasco’. Eu falei: ‘olha, vai perder dinheiro’”, comentou Paulo Guedes.

No entanto, o ministro cometeu um equívoco ao falar sobre o Manchester United, já que os Red Devils são geridos pela família Glazer, mais propriamente por Joel e Avram, que tem uma fortuna estimada em mais de 4,7 bilhões de dólares, segundo a revista Forbes, com negociações no ramo alimentício, embalagem, de saúde, bancário, de gás natural, internet, ações e outros mais.

Foto: Reprodução/Rede social - Torcedores do Flamenog invadiram Doha, no Catar, quando clube foi disputar o Mundial de Clubes em 2019

No entanto, a fala de Guedes pode ser um prenúncio do virá, já que o atual governo deliberou a favor da alteração das estruturas dos clubes de futebol de atividades sem fins lucrativos para Sociedade Anônima do Futebol. Mas, os clubes precisam mudar os seus estatutos para caber dentro do novo regimento, caso que impede o Flamengo de ser adquirido por qualquer que seja o comprador neste momento.

Mais notícias do futebol brasileiro:

Renato Gaúcho bate martelo e afirma se Arrascaeta vai ser titular ou não na Libertadores

Neymar na torcida? Astro do PSG sinaliza sua escolha entre Palmeiras x Flamengo na Libertadores

Wesley Alencar

Jornalista desde 2017, formado pela Universidade São Judas Tadeu, e atuante como redator desde 2015. Passagens pelas rádios Max FM Cotia e Meteleco.net, além de outros portais de esportes e entretenimento. Cubro as principais informações de Flamengo, Palmeiras, São Paulo e Corinthians.+ info

Notícias relacionadas

Mais notícias

Mais notícias