Qatar 2022

Manchester United estaria disposto a passar teto salarial para ter Neymar

Por Jorge Dias

Manchester United estaria disposto a passar teto salarial para ter Neymar

Craque brasileiro tem uma multa rescisória de 250 milhões de euros

Síguenos enSíguenos en Google News

Neymar é um dos melhores jogadores do mundo e consequentemente tem um valor altíssimo. Caso o Manchester United queira contratar o brasileiro terá que pagar a multa rescisória de 250 milhões de euros. Entretanto, existe a chance de o United não pagar nada por Neymar. O Sheik Jassim, bilionário do Catar, negocia a compra do clube, e caso se concretize a venda, o atacante poderia ser cedido pelo PSG, pois Jassim é membro da família real do Catar, a mesma que controla o Paris Saint-Germain.

Os rumores de Neymar no Manchester United só aumentam e neste fim de semana o portal GOAL divulgou que o clube estaria disposto a ultrapassar o seu teto salarial pelo brasileiro. Atualmente, o United tem um teto de £ 200.000 (R$ 1,2 milhão) por semana, mas iria pagar £ 385.000 (R$ 2,3 milhões) semanais a Neymar.

Mais notícias do Futebol Brasileiro: 

Jogador que ganha 1 milhão enganou o Corinthians, segue recebendo salário para não jogar

O craque que o Manchester United vai deixar ir para juntar a Messi e Neymar

Atualmente, Neymar recebe quase o dobro dester valor. Ele tem um dos maiores salários do futebol mundial, e recebe cerca de R$ 220 milhões por ano, cerce de R$ 4,5 milhões semanais do PSG. Vale destacar que nos últimos anos o valor de mercado de Neymar despencou devido ao avanço da idade e as lesões.

Nesta temporada, Neymar voltou a sofrer com lesões e esteve fora grande parte do tempo, inclusive, ele segue se recuperando de cirurgia no tornozelo. Em 2022/2023, Neymar disputou 29 jogos, marcou 18 gols e deu 17 assistências com a camisa do PSG

PSG foi campeão do Campeonato Francês

Neste sábado, o PSG empatou com Strasbourg e garantiu mais um título do Campeonato Francês. Em seu Instagram, Neymar comemorou a conquista com diversas postagens.


Mais notícias