Brasileirão

Foi campeão do Mundo em 2002 e capitão, mas hoje em dia foi pego em esquema de bitcoin

Por Tomas Porto

Foi campeão do Mundo em 2002 e capitão, mas hoje em dia foi pego em esquema de bitcoin

O ex-jogador de futebol Marcos Evangelista de Morais, mais conhecido como Cafú, veio ao público negar qualquer envolvimento

Síguenos enSíguenos en Google News

O ex-jogador de futebol Marcos Evangelista de Morais, mais conhecido como Cafú, veio ao público negar qualquer envolvimento com uma suspeita de empresa de pirâmide financeira que atua no mercado de bitcoins, moedas virtuais. A Justiça de Goiás determinou o bloqueio de R$ 3 milhões e de bens pertencentes a Cafú e mais duas pessoas, devido às suspeitas de envolvimentos no esquema.

De acordo com o processo movido pelo Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo de Goiás (Ibedec), Cafú teria sido apontado como "embaixador" da empresa. A alegação é de que os envolvidos conseguiram se unir para criar um sistema de pirâmide financeira, utilizando a aquisição de bitcoins como argumento, prometendo ganhos irreais por meio do cadastro no site.

Mais notícias do Futebol Brasileiro:

Nem Ancelotti nem Jorge Jesus, o técnico da Seleção Brasileira na próxima convocação

A Mansão de 15 milhões de Roger Guedes no Corinthians é diferente de tudo que já vimos

No entanto, em nota assinada por sua assessoria, o ex-jogador recusou-se veementemente a recusar. A defesa de Cafú afirmou que ele foi contratado exclusivamente para o uso de sua imagem, possuindo um contrato específico para esse fim, e que as comunicações são completamente infundadas.

Além disso, o texto informa que houve problemas no pagamento pela cessão de imagem e que o contrato foi rescindido em outubro do ano passado. Os advogados que representam o Cafú enviaram uma notificação extrajudicial solicitando a rescisão do contrato por inadimplência e proibindo a empresa de usar a imagem do ex-jogador.

Cafu segue tentando provar sua inocência

Cafú, que possui uma carreira de sucesso no futebol, é um dos ícones do esporte brasileiro e é lembrado como o capitão da seleção brasileira que conquistou a Copa do Mundo de 2002. com a empresa suspeita de pirâmide financeira, reforçando que seu único vínculo era o contrato para uso de imagem, que foi rescindido por falta de pagamento.

Tópicos


Mais notícias