Série A > Flamengo

De última hora: Marcos Braz revela porque Jorge Jesus não voltou ao Flamengo

O desejo da torcida era pelo retorno do "Mister" ao rubro-negro

Marcos Braz, vice-presidente de futebol do Flamengo
Marcos Braz, vice-presidente de futebol do Flamengo

O Flamengo vem atravessando um bom momento na temporada sob o comando de Dorival Júnior, mas parece que Jorge Jesus, atual comandante do Fenerbahçe-TUR, ainda é lembrança viva no time carioca, onde conquistou um Campeonato Brasileiro, uma Copa Libertadores, uma Recopa Sul-Americana, um Carioca e uma Supercopa do Brasil. Marcos Braz, vice-presidente de futebol, ao ser perguntado o motivo de não ter contratado o lusitano na época que estava livre no mercado, Braz ainda deixou claro que o rubro-negro segue um planejamento.

— O Jorge Jesus quando estava nessa situação que você menciona que estava se oferecendo, o Flamengo tinha um treinador, uma comissão técnica e por esse simples fato, a gente entendia que não deveria ter nenhum tipo de mudança naquele momento — declarou.

Mais notícias do Flamengo:

O que Dorival faz para fazer de Arturo Vidal o melhor atacante e esquecer Gabigol

Quem é Erick Pulgar: o jogador que tem um pé dentro do Flamengo

Jorge Jesus chegou a se oferecer para retornar ao Flamengo

Vale destacar que nesse período em que Jorge Jesus esteve livre no mercado, o treinador que comandava o Flamengo na época era o seu compatriota Paulo Sousa. O português chegou ao time da Gávea com a esperança de repetir o mesmo feito de seu compatriota Jorge Jesus, no entanto, as coisas não aconteceram. A pressão da torcida e o baixo rendimento da equipe acabaram fazendo com que o comandante fosse desligado.

Após sua saída, o Flamengo se movimentou rápido e contratou Dorival Júnior, velho conhecido da torcida. Sob o comando do novo-velho treinador, o time carioca voltou a ter boas atuações e resultados convincentes que trazem esperança para o restante da temporada. Além de números, o comandante conseguiu recuperar jogadores importantes do elenco. Principalmente por fazer a dupla Gabigol e Pedro atuar junta no time titular e dar trabalho aos defensores adversários.

Notícias relacionadas

Mais notícias

Mais notícias