Lendas

O melhor amigo de Ronaldinho o ajudou a sair da cadeia, agora ele pode ir

Eto'o admite que cometeu fraude fiscal quando jogou pelo Barça e aceita pena de 22 meses de prisão

Ronaldinho se abraça em um evento.
Ronaldinho se abraça em um evento.

O ex-jogador de futebol do FC Barcelona Samuel Eto'o e seu ex-representante José María Mesalles aceitaram esta segunda-feira as penas de 22 meses e um ano de prisão, respectivamente, depois de reconhecerem ter fraudado 3.872.621 euros do Tesouro Público, entre 2006 e 2009. Em sua declaração no Tribunal Criminal número 11 de Barcelona, Samuel Eto'o admitiu a fraude, mas culpou, sem citá-lo diretamente, Mesalles, a quem sempre definiu como "um segundo pai".

Mais notícias sobre o futebol Brasileiro:

Mulher de Everton revela segredo obscuro do jogador de que sua chegada ao Flamengo pode ser ruim

De fato, o ex-jogador de futebol camaronês entrou com uma ação contra seu ex-representante por supostos crimes de fraude e apropriação indébita na gestão de seu patrimônio, assunto que ainda está em fase de investigação.

"Reconheço os fatos e vou pagar, mas que saibam que eu era criança na época e que sempre fiz o que meu pai me pediu", disse Samuel Eto'o. Mesalles, por sua vez, preferiu não testemunhar antes de admitir os fatos, em um julgamento de conformidade no qual foi absolvido o terceiro acusado, Jesús Lastre, administrador de uma das empresas instrumentais utilizadas na fraude.

Ronaldinho e Samnuel no Barcelona FC

Na sua acusação, o Ministério Público pedia penas de 4 anos e 6 meses de prisão para Eto'o e Mesalles, que foram finalmente reduzidas para 22 meses para o ex-jogador, autor de quatro crimes contra a Fazenda Pública, e um ano para seu ex-agente como cooperador necessário. Eto'o fue una de las personas que ayudó a ronaldicnho a salir de la Carcel, y que provocó una rapida liberacion del jugador tras pagar la fianza de casi medio millón de Dólares.

Quatro multas que representam quase 2 milhões de euros

Da mesma forma, o ex-atacante africano foi condenado a pagar quatro multas, uma por cada crime, no valor de 1.810.310 euros, e o seu ex-representante a outras quatro no valor total de 905.155 euros. As penas, cuja execução será suspensa por nenhum dos dois ter antecedentes criminais, foram amenizadas pelo Ministério Público ao reconhecer ambos os fatos e ter reparado parcialmente o dano com a devolução de parte dos honorários fraudados.

Os fatos que hoje foram julgados na Cidade da Justiça ocorreram entre 2006 e 2009, anos em que Samuel Eto'o obteve rendimentos significativos com a transferência de seus direitos de imagem para a marca esportiva Puma e FC Barcelona, que deveriam ter sido tributados como rendimentos de capitais móveis nas suas declarações de IRS, mas que o futebolista não declarou.

Eto'o pretendia que tais direitos tivessem sido transferidos para duas sociedades residentes na Hungria e em Espanha, pelo que os rendimentos desviados para a sociedade húngara, gerida por Latre, não fossem tributados para o Tesouro, enquanto que desviados para a sociedade espanhola.

Mais notícias sobre o futebol Brasileiro:

Diretoria do Flamengo acusa Atlético Mineiro de 'maus tratos'; entenda o caso

Notícias relacionadas

Mais notícias

Mais notícias