Série A

Não é a LDU: o único time equatoriano que humilhou o São Paulo e ridicularizou Rogério Ceni

Os dois times se enfrentaram há uma década

Lucas Moura enfrentou a Liga de Loja em 2012
Lucas Moura enfrentou a Liga de Loja em 2012

Há dez anos, o São Paulo conquistava a Copa Sul-Americana, quatro anos depois de o Internacional ter sido o primeiro time brasileiro a conquistar a competição continental. Mas o começo da caminhada Tricolor passou pelo Equador contra um time que nem está figurando mais na elite do futebol nacional, a Liga Deportiva Universitária de Loja, que ficou conhecida como "LDU genérica" no Brasil, em referência ao time de Quito, campeão da Libertadores em 2008 e da própria Sul-Americana no ano seguinte.

A primeira partida aconteceu no estádio Reina del Cisne, em Loja, que fica a 400 quilômetros da capital do país. No dia 26 de setembro de 2012, o jogo que teve em campo nomes como Rogério Ceni, Rafael Tolói, Lucas Moura & cia terminou empatado em 1 a 1.  Como o São Paulo não levava perigo, aos poucos a LDU perdeu o medo e começou a chegar. Aos 24, Feraud assustou em cobrança de falta. Seis minutos depois, o atacante brasileiro Fábio Renato recebeu nas costas de Cortez, mais uma vez muito mal na marcação, e bateu firme, no canto esquerdo do atual técnico Tricolor, que fez bela defesa.

Mais notícias de ecuatorianos:

O venezuelano que pode ser o sucessor de Robert Arboleda no São Paulo e provoca curiosidade

No melhor momento do time da casa, porém, a equipe brasileira achou um gol e abriu o marcador. Osvaldo desceu pela esquerda, passou por Gomez e cruzou de pé direito. Bermudez tentou cortar de cabeça e a bola entrou no canto esquerdo de Alvarado, que nada pôde fazer. Gol contra do defensor equatoriano. Aos 44, a LDU de Loja chegou ao empate. O juiz uruguaio Julio Bascuñan errou ao marcar falta de Denilson em Uchuari no meio-campo. Na cobrança, Larrea recebeu sozinho e, de pé direito, acertou o ângulo do M1TO. Um golaço e festa da torcida local.

O jogo de volta no Morumbi reservava mais emoções. Um empate sem gols era o suficiente para classificar o São Paulo, que havia marcado um gol no Equador (na época, o critério de gol qualificado existia). Houve ainda uma discussão entre Rogério Ceni e o então técnico são-paulino, que era Ney Franco, por causa de uma substituição no segundo tempo: o capitão queria a entrada de um jogador mais alto para ajudar no ataque e pediu Cícero, mas o treinador preferiu colocar o atacante Willian José, que hoje atua no futebol espanhol. A Liga de Loja deu muito trabalho, mas o Tricolor se classificou, mesmo saindo do estádio sob fortes vaias de seu torcedor.

Hoje, dez anos depois do histórico confronto contra o gigante brasileiro, a Liga de Loja desapareceu, não existe mais. Mas os dois jogos contre o tricampeão do mundo jamais sairão da memória dos torcedores desse clube.

Notícias relacionadas

Mais notícias

Mais notícias