Série A

O pedido que faz jogador do Fortaleza após atentado contra o ônibus do time é emocionante

Por Romario Paz

O jogador fez este pedido especial após os momentos de tensão

O jogador fez este pedido especial após os momentos de tensão

Síguenos enSíguenos en Google News

Thiago Galhardo, atacante do Fortaleza, endossou o posicionamento do CEO do clube, Marcelo Paz, de que não é adequado que o time entre em campo novamente até que todos os atletas estejam completamente recuperados. Isso inclui o próximo desafio do Fortaleza, contra o Fluminense-PI, pela primeira fase da Copa do Brasil, marcado para o dia 28 de fevereiro. A declaração vem após o ônibus da equipe ser alvejado com artefatos explosivos por torcedores do Sport, após um jogo pela Copa do Nordeste. Seis jogadores foram feridos, mas felizmente estão se recuperando bem.

Joia criada por Ronaldo, agora Flamengo e Atlético-MG brigam para contratar ele

Os jogadores feridos no incidente incluem os laterais Gonzalo Escobar e Dudu, os zagueiros Brítez e Titi, o goleiro João Ricardo e o volante Lucas Sasha. Apesar do susto, eles foram prontamente atendidos em um hospital de Recife e já receberam alta. Agora, estão sendo apoiados pela equipe médica do clube e se reapresentarão nesta sexta-feira (23) no Pici.

"Fisicamente sabemos que passou, mas mentalmente, eu estou muito abalado. Estou com medo desses jogos fora, não temos segurança. Lembro que ontem, a gente indo pro aeroporto, todos indo com muito medo para o aeroporto. Medo é o que nós temos. Acho que as autoridades precisam tomar alguma providência", concluiu Galhardo, expressando preocupação com a segurança dos jogadores durante as viagens.

Joia criada por Ronaldo, agora Flamengo e Atlético-MG brigam para contratar ele

Thiago Galhardo pede para Fortaleza não jogar contra o Fluminense

"Primeiro, (quero) parabenizar o que o Paz falou na chegada. Faço minhas as palavras dele. Vamos nos reunir hoje à tarde para entrar no mesmo pensamento, e voltar somente quando todos estiverem aptos para o treinamento e depois os jogos. Até lá deveríamos nos unir, manter a condição (física), mas não jogar. Quinta, contra o Fluminense, acho que nós não deveríamos jogar", enfatizou o jogador em entrevista ao Globo Esporte.


Mais notícias