Série A

Não é Diniz, treinador do futebol brasileiro quebra silêncio e detona a CBF

Por Jorge Dias

Não é Diniz, treinador do futebol brasileiro quebra silêncio e detona a CBF

Importante treinador do futebol brasileiro faz duras críticas contra CBF

Síguenos enSíguenos en Google News

A Seleção Brasileira passa por um dos piores momentos da sua história. Os resultados na Eliminatórias Sul-Americanas são ruins e o Brasil ocupa apenas a sexta colocação. Antes conhecida e referência mundial por futebol vistoso, a Canarinha passou a estampar as principais capas de jornais por polêmicas na Confederação Brasileira de Futebol (CBF), como aconteceu com Ednaldo Rodrigues. O presidente tinha sido afastado do cargo depois de uma disputa política nos bastidores, mas retornou ao depois de uma liminar que foi concedida pela justiça.

Quando Ednaldo Rodrigues retornou, a CBF já tinha passado uma vergonha com a renovação do treinador italiano Carlo Ancelotti com o Real Madrid. Precisando dar uma resposta, Ednaldo optou por demitir Fernando Diniz e convidar Dorival Júnior para assumir a Seleção Brasileira. Dorival aceitou e sua primeira convocação vai acontecer no dia 1 de março para amistosos contra a Inglaterra e Espanha.

Depois de um tempo calado, Diniz resolveu se pronunciar: "Queria que tivesse sido diferente. Mas, são águas passadas. Temos que tocar a vida em frente. Tenho muita clareza daquilo que fiz para a Seleção Brasileira e o meu contato com os jogadores e a Seleção está em boas mãos agora. Eu tinha muita convicção de que aquilo, com mais tempo, iria dar resultados muito importantes. Tinha um feeling muito claro disso. Para quem estava internamente, também tinha nitidez do que estava sendo feito. Seis jogos é uma amostragem extremamente pequena.”

Agora, quem decidiu falar mal da Confederação Brasileira de Futebol foi o treinador do Grêmio, Renato Gaúcho. Inclusive, Renato abriu o jogo se chegou ser convidado e se pensa em assumir a Seleção Brasileira no futuro.

Renato Gaúcho detona CBF

Desse modo, Renato Gaúcho afirmou que tem o sonho de assumir a Seleção Brasileira, mas é contra a bagunça que existe na CBF.

Em entrevista para o GE, Renato declarou: “Cara, eu vou te falar uma coisa. Vou te falar sinceramente, se eu fosse chamado para a Seleção agora, eu não iria. Com todo o respeito. Nessa bagunça eu não vou entrar não. A Seleção Brasileira é meu sonho, mas a CBF tem que tomar vergonha na cara. A verdade é essa. Eu não quero chegar na seleção brasileira e ser mais um. Nessa bagunça, eu estou fora. Graças a Deus, ninguém me chamou. Eu não iria. Do jeito que está a situação na CBF, independente de quem quer que seja o presidente da CBF, mas ela tem que tomar vergonha na cara. Para o bem do futebol brasileiro.."


Mais notícias