Jogadores

São Paulo será investigado pela polícia em caso de fraude na vinda de jogador

Contratação de Giuliano Galoppo pode dar o que falar

Escudo SPFC
Escudo SPFC

O presidente do clube argentino, Banfield, declarou recentemente que o valor da transação de Giuliano Galoppo para o São Paulo destoa do que é divulgado pelos dirigentes do tricolor. O negócio firmado em criptomoedas é uma forma de driblar o Banco Central da Argentina que tem barrado negocia ações em dólar ou em qualquer moeda estrangeira, nem mesmo real vem sendo aceito no país vizinho.

Segundo números divulgados pelo Banfield da Argentina, o jogador foi contratado sobre o valor de 8 milhões de dólares, cerca de 41 milhões de reais que afirmou em uma emissora de televisão do país o clube do Morumbi já havia feito o depósito do dinheiro. É sabido que o clube defendido por Rogério Ceni vem enfrentando fortes dificuldades financeiras.

Mais notícias do futebol brasileiro

É descoberto porque Fabian Bustos era uma fraude no Santos

O jogador que pode fazer com que todos os santistas esqueçam de Cueva

Procurada, a diretoria tricolor se defendeu afirmando que já realizou o pagamento de 4 milhões de dólares pelos direitos do atleta desses 4 milhões, 2 são apenas em taxas, comissões e outras burocracias. A explicação para essa diferença absurda é que os valores tratados pelos 2 clubes podem estar na cotação do dólar na Argentina e no modelo utilizado para o pagamento, em criptomoedas.

Sim optasse pela tradicional forma de pagamento, o São Paulo pagaria o Banfield com uma transferência que necessariamente precisaria do aval do banco central da Argentina, o que obrigaria o ex clube do jogador a converter o dinheiro em pesos pelo câmbio oficial no país, além de pagar taxas por essa transação o clube as gente no veria a oferta sofrer uma desvalorização por conta da crise econômica.

Presidente do Banfield defende negócio por criptomoeda

Espinosa cedeu uma entrevista ao canal TyC Sports em que revelou que a forma de pagamento utilizada pelo São Paulo já é utilizada na Europa e representa uma alternativa aos clubes argentinos, “se o clube recebe essa receita em moeda estrangeira está obrigando a trazê-la para o câmbio oficial. Nós sentamos e conversamos com o São Paulo e dizemos que necessitávamos desta operação em tantos milhões de pesos equivalentes aos 8 milhões de dólares”, comentou o mandatário argentino.

Jorge Dias

Jornalista formado pela Universidade P. Mackenzie em 2013, mas atuo desde 2008 com textos esportivos. Já trabalhei no Diário Lance! como diagramador e jornalista, de 2010 a 2016. Escrevi para Surto Olímpico, Bola Parada, Torcedores.com e Punteiro Izquierdo.+ info

Notícias relacionadas

Mais notícias

Mais notícias