Série A

Vitor Pereira solta o verbo e faz duras críticas ao futebol brasileiro

Por Jorge Dias

Vitor Pereira solta o verbo e faz duras críticas ao futebol brasileiro

Técnico português recentemente trabalhou no Corinthians e Flamengo

Síguenos enSíguenos en Google News

Vítor Pereira foi o técnico de confiança de Landim e Marcos Braz para assumir o Flamengo para 2023. Depois de muita especulação, o clube carioca anunciou o acordo com o português para a temporada, após boa passagem no Corinthians. No entanto, o comandante fracassou no Rubro-Negro, tendo acumulado eliminações e vices campeonatos, fato que culminou em sua demissão.

Pelo Timão, o treinador europeu conduziu a equipe de volta à disputa dos grandes títulos — ficou entre os primeiros colocados no Brasileirão e deu muito trabalho para o Flamengo na final da Copa do Brasil. Entretanto, ficou com o vice-campeonato. Apesar do bom trabalho e das demonstrações de carinho ao clube paulista, o comandante português optou por não renovar seu vínculo alegando problemas familiares em Portugal.

Sendo assim, Vitor Pereira participou de uma mesa de debates ao lado de outros técnicos: Carlos Carvalhal, que chegou a ser alvo do Flamengo, e Paulo Sousa, ex-treinador do rubro-negro. Na conversa, o português não poupou palavras e criticou a postura do futebol brasileiro, causando uma alta repercussão em sua fala.

Vitor Pereira solta o verbo e faz duras críticas ao futebol brasileiro

Conforme publicado no Ge.com, em entrevista após um evento de discussão do futebol no Porto, em Portugal, o técnico Vítor Pereira reclamou da falta de educação no Brasil. Assim, o português disse que tudo é tratado com uma exagerada emoção em relação ao esporte no país, onde ele trabalhou por pouco mais de um ano.

— O que gostei menos foi da falta de educação. Muita falta de educação. Muita falta de educação… não estou apontando especificamente, mas uma falta de educação geral — disse Pereira.

— Não é da imprensa especificamente, é do futebol em si. Tudo que envolve o futebol. Passa um pouco do limite, a emoção passa um pouco do limite, e dizem as coisas que nós, aqui, ainda não estamos preparados. Lá pode ser normal. Já percebi que é um pouco cultural. Para nós, é um pouco difícil — completou.

 


Mais notícias