Série A > Flamengo

O mega técnico que o Flamengo poderia contratar

A demissão de Domènec Torrent abre um leque de opções para o clube manter a linha europeia de sucessão

Flamengo abre os cofres por técnico europeu.
Flamengo abre os cofres por técnico europeu.

Inesperado, mas não tanto assim, ocorreu a demissão de Domènec Torrent na tarde desta segunda-feira (9). O espanhol perdeu o cargo após as duas grandes derrotas no Campeonato Brasileiro para São Paulo (4 a 1) e Atlético-MG (4 a 0). Agora, a diretoria rubro-negra já estuda os nomes disponíveis no mercado para substituir Dome e também procura manter a linhagem europeia no comando flamenguista.

No Brasil o nome de Rogério Ceni ganha força, mas o mercado europeu chama a atenção do Mengão após a ótima passagem de Jorge Jesus e os três meses do pupilo de Pep Guardiola no comando da equipe. Dessa forma, os principais nomes para assumir o clube na metade de final da temporada são os dos portugueses Rui Vitória, Leonardo Jardim, Bruno Laje e Rui Faria, além do espanhol Robert Moreno. 

Rui Vitória, 50 anos, está no Al-Nassr, da Arábia Saudita e tem contrato até junho de 2022 e Leonardo Jardim, 46, ainda não trabalhou em 2020, após a demissão do Mônaco, da França. Bruno Laje, 44, foi técnico do Benfica, de Portugal, até junho deste ano e Rui Faria, 45, trabalhou no Al-Duhail, do Catar, em seu primeiro emprego como treinador. O espanhol Robert Moreno, 43, comandou o Mônaco até o fim da última temporada.

E para realizar este sonho, o Flamengo quer investir pesado na contratação. De acordo com informações veiculadas na imprensa, Jorge Jesus ganhava o salário mensal que beirava os R$ 2 milhões e Domènec Torrent estava ganhando cerca de R$ 600 mil por mês, portanto o Flamengo está disposto a oferecer até mais do que o último técnico para chamar a atenção da Europa pela terceira vez seguida.

Notícias relacionadas

Mais notícias

Mais notícias