Jogadores

Endrick salvou a seleção brasileira, mas foi isto o que fizeram com seu pai

Por Romario Paz

Endrick salvou a seleção brasileira, mas foi isto o que fizeram com seu pai

O craque do Palmeiras foi o destaque do jogo e teve que passar por isso

Síguenos enSíguenos en Google News

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) emitiu uma nota oficial repudiando veementemente os atos racistas e expressando solidariedade a Endrick e sua família. O chefe da delegação brasileira na Venezuela, Daniel Vasconcelos, falou em nome do presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, condenando firmemente a discriminação racial.

A CBF destacou que foi a primeira entidade nacional de futebol a introduzir a possibilidade de punir clubes esportivamente em casos de racismo, conforme previsto no Regulamento Geral de Competições de 2023. Além disso, a entidade realiza campanhas de combate ao racismo desde 2022 e mantém um Grupo de Trabalho dedicado ao tema.

Ataques racistas não são incomuns no futebol, especialmente em confrontos entre equipes sul-americanas. No entanto, é crucial que medidas sejam tomadas para erradicar esse tipo de comportamento prejudicial ao esporte e à sociedade como um todo.

O Brasil enfrenta a Argentina na rodada final do Pré-Olímpico, e a vitória é crucial para garantir uma vaga nos Jogos Olímpicos de Paris. Qualquer outro resultado pode deixar a equipe brasileira fora das Olimpíadas pela primeira vez em duas décadas.

Pai de Endrick sofre ataque racista após jogo da seleção pré-olímpica

Após a vitória do Brasil sobre a Venezuela no Pré-Olímpico, um episódio lamentável ofuscou o resultado do jogo. Torcedores adversários foram flagrados fazendo gestos racistas na direção de Douglas Ramos, pai do atacante Endrick, do Palmeiras. O incidente ocorreu durante e após a partida, deixando claro que o racismo ainda persiste nos estádios de futebol.


Mais notícias