Série A > Libertadores 2021

Quanto custará para reparar os danos causados pelo Boca Juniors no Mineirão?

Delegação do Boca Juniors ficou 12h na delegacia

Clubes protagonizaram dois confrontos muito ríspidos
Clubes protagonizaram dois confrontos muito ríspidos

A partida entre Atlético-MG e Boca Juniors, na última terça-feira (20) saiu das páginas esportivas e foi parar nas páginas policiais após os jogadores argentinos, inconformados com a derrota partirem para cima da arbitragem e de dirigentes do Atlético (nas redes sociais circulam diversos vídeos do tumulto). Mas afinal, entre depredação, fiança daqueles que foram autuados na confusão, qual é o montante que o Boca Juniors deve? 

De início, ao presidente do Atlético-MG, Sérgio Coelho, o clube deve R$ 6 mil reais por ter emprestado dinheiro para que o clube de Buenos Aires pagasse a fiança de duas pessoas que foram autuadas por ato qualificado. O presidente do Galo, inclusive, já falou que não teve o dinheiro quitado ainda.

Foto: Reprodução/Fox Sports - Confusão se deu porque equipe argentina queria invador vestiários dos árbitros

Quanto ao prejuízo dado ao Estádio do Mineirão, ainda não foi contabilizado e/ou não foi contabilizado pela prefeitura de Belo Horizonte. As palavras “prejuízo” e “Mineirão”, inclusive, são algumas das mais comentadas numa rede social – muitos deles torcedores revoltados com o quebra-quebra no estádio. 

A delegação do Boca Juniors passou a noite numa delegacia próxima ao Estádio e passaram 12h prestando depoimentos. Após liberados, os argentinos seguiram direto para o aeroporto rumo à Buenos Aires. 

O Boletim de Ocorrências instaurado pela Polícia Militar de Minas Gerais nomeou os jogadores Villa, Pavón, Gonzales, Rojo, Briasco e Zambrano por arremessarem um bebedouro, agredir, tentar agredir e cuspir em seguranças e funcionários do estádio e nos agentes policiais.

Notícias relacionadas

Mais notícias

Mais notícias