Qatar 2022

Nem Dinora nem sua família; o que Joana Sanz fez que deixou Dani Alves feliz

Por Romario Paz

Nem Dinora nem sua família; o que Joana Sanz fez que deixou Dani Alves feliz

A ainda esposa do jogador de futebol mudou seu comportamento com ele nos últimos dias

Síguenos enSíguenos en Google News

Joana Sanz voltou a visitar Dani Alves na prisão. Recentemente, a ainda esposa do ex-jogador de futebol, fez algumas declarações onde saiu em defesa do brasileiro. Dani Alves vive o pior momento de sua vida após passar mais de três meses preso, acusado de agredir uma jovem na boate Sutton, em Barcelona. Ainda nesta semana, o juiz que investiga o caso do ex-jogador do Pumas concordou em mantê-lo na prisão, onde entrou em 20 de janeiro.

 "Estou cansada e chateada com esse tipo de mensagem ou comentário. Onde está a presunção de inocência?", disse a modelo Joana Sanz, que continuou. "Até agora, o único julgamento que aconteceu é o julgamento paralelo que você realizou. Não serei mais um para condená-lo. Vamos parar de intoxicar um caso tão delicado com a opinião pública."

Mais notícias do Futebol Brasileiro:

O Grêmio perdeu e Renato Gaúcho soltou os cachorros ao falar sobre a arbitragem, forte

Ele é capitão do São Paulo, mas tomou atitude que evitou a quebra do tabu para o Tricolor

Agora novamente ela foi vista saindo do presídio onde está Dani Alves e voltou para deixar um depoimento que pelo menos parece ter baixado o nível de tensão. Questionado sobre o golpe que Dani Alves recebeu após o pedido de liberdade provisória ser indeferido, ele respondeu: "Não falamos dessas coisas". Embora tenha sido muito conciso em sua resposta, ele afirmou "você sabe, estar lá ..." em referência ao estado de espírito de Dani Alves. Por fim, afirmou que "tentará" continuar a ir à prisão para o visitar.

Joana e Dani Alves estão melhorando?

Sem dúvida, Joana Sanz é mais conciliadora com Dani Alves, não só pelas visitas na prisão, mas pelo tom das suas últimas declarações: "Já percebi que, faça o que fizer, vão perseguir-me. Bem, não Pretendo continuar abaixando a cabeça. Não fiz nada. Cabeça erguida e um grande sorriso, não vou me deixar magoar com certas perguntas. Às vezes fico sobrecarregado e não sei se chorar ou fugir. Não suporto que me esperem à porta de casa, parece-me muito psicopata", concluiu Joana Sanz.

Tópicos


Mais notícias