Qatar 2022

Foi campeão mundial com o Brasil, agora vive turbulenta vida na política

Por Romario Paz

Foi campeão mundial com o Brasil, agora vive turbulenta vida na política

Romário quer ser presidente!

Síguenos enSíguenos en Google News

Romário quer dar um novo passo na política. Dentro do mundo do futebol, é claro. O craque brasileiro teve uma longa carreira como jogador de futebol, sendo figura do Vasco da Gama e do Flamengo em seu país natal, enquanto no exterior brilhou pelo PSV holandês e pelo Barcelona, onde marcou 39 gols em 65 jogos. Mas, sem dúvida, o ponto alto de sua carreira foi com a Seleção Brasileira, quando se sagrou campeão da Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos, marcando cinco gols.

Porém, nas últimas horas o ex-jogador de futebol virou notícia após um importante anúncio em suas redes sociais. O atacante aposentado anunciou que quer ser presidente do América Futebol Clube do Rio de Janeiro e confirmou que participará como candidato nas próximas eleições para os cargos do clube, que ocorrerão em novembro deste ano.

Mais notícias do Futebol Brasileiro:

Enquanto Gabigol tem Porsche de 520mil, a raridade de Neymar só tem 10 unidades no mundo

Jogou tudo no ventilador, a declaração de Luxemburgo que acende um alerta no Corinthians

"Agora é oficial. O primeiro passo foi dado para a realização de mais um sonho: ser presidente do meu time de coração, o América Futebol Clube. O time que meu pai me ensinou a amar. A passagem do AMERICA LIVRE levará nosso time, esse legado do Rio de Janeiro, para a elite do futebol", disse ele em um post em sua conta no Instagram. Ele também garantiu que o que motivou a determinação é que seu pai, já falecido, era torcedor do time gaúcho.

Vale ressaltar que a candidatura de Romário ganha força pelo fato de ele ter experiência tanto na América quanto no mundo da política no Brasil. Já pelo clube, foi diretor técnico em 2009 e conquistou o Campeonato Carioca A2, que viria a ser a segunda divisão do regional carioca.

Romário quer ser presidente do América do Rio

De sua parte, em 2010 se lançou na política, primeiro como deputado e depois como senador federal pelo Rio, passando por três partidos políticos diferentes: o Partido Socialista, o Partido Trabalhista e agora o Partido Liberal, ligado ao ex-presidente Jair Bolsonaro.

Tópicos


Mais notícias