Copas

Foi campeão com o Vasco em 2003, agora foi condenado pela Justiça

Por Jorge Dias

Foi campeão com o Vasco em 2003, agora foi condenado pela Justiça

Capitão na campanha do título carioca em 2003, Alex foi condenado pela Justiça Federal

Síguenos enSíguenos en Google News

O Vasco da Gama vive mais um ano complicado em sua história. Nesta quinta-feira (26), perdeu para o Internacional por 2 x 1 e permaneceu na zona de rebaixamento. Com 30 pontos, o Cruzmaltino está em 18º lugar, com três pontos a menos que o Santos, que venceu na rodada. Na próxima rodada, irá enfrentar o Goiás, neste domingo (29), às 16h (horário de Brasília). Os próximo jogos serão contra o Cuiabá, Botafogo, Cruzeiro, América-MG, Athletico-PR, Corinthians, Grêmio e Bragantino.

 

A equipe tenta impedir mais um rebaixamento, logo após ter voltado da Série B e com tanto tempo sem conseguir estar na elite do futebol brasileiro. Mas a situação do clube não está boa e, no momento, precisa ter uma campanha ótima neste final de temporada. Só que também ainda enfrenta times que estão na disputa contra o rebaixamento e, assim, pode aumentar as suas chances de permanência.

Esse não é o único ano complicado vivido pelo clube, que não consegue ter temporadas regulares há muito tempo. O último título conquistado foi em 2021, a Taça Rio, desde então não levantou nenhum mais taça. No século XXI, só foi campeão carioca três vezes, em 2003, 2015 e 2016. O capitão do Vasco na campanha de 2003, Alex, foi condenado por tráfico internacional. O ex-zagueiro só ficou no clube por um ano, perdendo espaço no Brasileirão.

 

Condenação por tráfico internacional de drogas

Segundo o ge, a Justiça Federal no Rio condenou Alex por tráfico internacional de drogas e organização criminosa. O ex-jogador estar preso desde fevereiro de 2022, detido pela Operação Turfe, da PF. Sua condenação é de 10 anos de prisão e, de acordo com os investigadores, a função na quadrilha era alugar galpões onde a cocaína ficaria dentro de contêineres, para então ser encaminhado para o porto.

 


Mais notícias